Notícias Notícias

Voltar

Escola do Nova Lima terá salas de aula climatizadas e tatame oficial de judô graças à doação do TRT

Com a quadra lotada de estudantes, pais, professores e autoridades, a Escola Estadual Lino Villachá, no bairro Nova Lima, em Campo Grande, ganhou hoje, 29 de novembro, 31 aparelhos de ar condicionado que garantirão climatização em todas as salas de aula, além de 40 quimonos e chinelos e uma área oficial de tatame para prática de judô. 
 
A doação foi feita pelo Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região por meio do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem da Justiça do Trabalho. O gestor regional do programa, juiz Márcio Alexandre da Silva, afirma que o projeto tem como objetivo oferecer um atrativo para a criança continuar na escola, evitando o trabalho precoce e as más influências das ruas. ''A Constituição Federal diz que o trabalho deve ser feito a partir dos 14 anos por jovens aprendizes. O Estado de Mato Grosso do Sul tem, atualmente, quase 10 mil vagas de emprego em aberto para adolescentes e jovens. São vagas já criadas, mas que ainda não foram preenchidas'', destacou Márcio Alexandre.
 
 
Para o Presidente do TRT/MS, desembargador João de Deus Gomes de Souza, o Poder Judiciário deve ampliar seu dever de dirimir conflitos trabalhistas e atuar de forma direta nos problemas sociais. ''O juiz não é apenas aquele que está na sala de audiência e vai julgar o processo, condenando ou absolvendo. Nós temos que compartilhar as agruras com a sociedade e plantar uma semente para que possamos colher bons frutos no futuro'', afirmou o magistrado.
 
A Escola Estadual Lino Villachá tem 1.270 alunos. Para participar das aulas de judô, oferecidas duas vezes por semana nos turnos matutino e vespertino, o estudante deve ter bom comportamento, frequência escolar e nota acima de 7. Hoje, 30 estudantes entre 9 e 17 anos fazem parte do projeto.
 
 
De acordo com o diretor da escola, Olívio Mangolin, as aulas de judô começaram no início deste ano, mas o tatame era pequeno. Agora, a estrutura emborrachada vai cobrir toda a extensão da sala de aula e as laterais da parede, garantindo mais segurança para a prática do esporte. Ao todo, são 25 placas emborrachadas de 2 x 1 metros.
 
O projeto teve a parceria da Federação de Judô de Mato Grosso do Sul, com o apoio técnico do presidente da FJMS, César Augusto Prohetti Paschoal. ''O judô também trabalha com doutrinação. Um dos princípios é que o aluno primeiro aprende a cair e depois a derrubar. Ou seja, todos nós, na vida profissional ou pessoal podemos cair e, uma vez caindo, temos que saber nos levantar'', esclarece César Paschoal.
 
 
Além das doações, também foi inaugurado o ginásio poliesportivo que foi reformado com recursos do governo do Estado no valor de R$ 452 mil. A quadra ganhou acessibilidade, arquibancada e fechamento da estrutura. ''Com 34 anos de existência, a escola não tinha recebido melhorias nessa área esportiva'', falou o governador Reinaldo Azambuja.